sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Leituras de Setembro

Eu comecei Setembro em um ritmo que parecia que ia me levar a superar a quantidade de livros de Agosto, mas não foi o que aconteceu. Ainda assim, 13 é um bom número de livros, não?

-Eu te darei o sol

Eu já tinha passado por esse livro algumas vezes sem dar atenção. Honestamente não lembro o que me fez decidir ler. Acho que vi em alguma lista interessante, ou me disseram que era bom. Só sei que baixei, abri, e li inteiro em um dia.
O livro está permeado pela temática da arte e também é arte. As imagens e as cores dele saltam. Estou considerando seriamente comprar uma cópia física.

-Silêncio

Em minha pré-adolescência, eu li boa parte da série Vampire Academy da Richelle Mead. Foi uma grande influência por algum tempo. A premissa desse livro, de uma garota em uma comunidade de surdos que começa a recuperar a audição, parecia bem daora, então lá fui eu.
Assim como com a Meg Cabot, não foi tudo isso que tinha ficado como impressão residual, mas foi divertido.

-Seraphina

Eu me recuso a colocar a primeira capa brasileira, porque não é legal julgar livro pela capa, mas não tem como evitar julgar aquela.
Dragões! Preciso dizer mais?
Ok, dragões e música e escrita boa e uma trama bem-desenvolvida. E problemas da vida real, como preconceito, só que transfigurado para dragões! E uma protagonista badass. Em vários planos.

-Prince's Gambit
-Kings Rising


Os dois livros finais da trilogia de Captive Prince! É neles que o amor nasce, tanto entre o casal no qual eu não acreditava nem um pouco quanto no coração dos leitores. Gente, escrever é uma arte. Representar profundidade e desenvolvimento psicológico também. PLOT TWISTS TAMBÉM. Manipular leitores também. A C.S. Pacat mexe em todas essas artes, e muito bem.

-Midnight Savage

E esse livro de poesia marca o retorno gradual ao cânone. Midnight Savage é um livro da importante poeta americana Adrienne Rich, e é lindo, como toda a poesia dela. Eu ainda não devolvi para a biblioteca. Só tenho direito a mais uma renovação. aaaaaaaa

-Estudos Sobre Magia

O segundo de Estudos Sobre Veneno, da série As Lendas de Yelena Zaltana. Os livros são antigos, mas eu, como sempre, sou lenta para conseguir cópias. Foi bastante interessante. Não tão bom quanto o primeiro, acho, mas ainda assim tem um universo e personagens bastante sólidos e interessantes. Yelena é uma protagonista muito consistente, e isso é sempre um deleite.

-Sangue de Dragão

O segundo da duologia que compõe Seraphina. Inesperado em todos os momentos certos. Melhor que o primeiro, ouso dizer.

-The Song of Achilles

Algo como a Ilíada pelos olhos do Pátroclo. Absolutamente devastador e lindo. Só. É. Nossa.

-The Raven Boys
-The Dream Thieves
-Blue Lily, Lily Blue


Os três primeiros da quadrilogia O Ciclo dos Corvos, que eu tinha lido em 2015 e amado com toda a minha alma. Só consegui o livro final em agosto, então decidi reler tudo para ter uma experiência completa. Foi um pouco como voltar para casa. Continuo amando com toda a minha alma.
(amo essas capas) (nossa como eu amo essas capas)

-O Rei da Vela

Nada como fechar o mês com um pouco de cânone brasileiro, não é mesmo? Eu nunca tinha lido Oswald de Andrade, e foi uma primeira experiência bastante interessante. Fiquei curiosa para ver a peça montada, o que significa que tá certo.

Não estou conseguindo fazer muito progresso agora em outubro. Muitas coisas acontecendo, não estou com tempo. Mas pelo menos na marca de 10 livros eu vou chegar; não posso desrespeitar o mês do Halloween.

(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

Nenhum comentário:

Postar um comentário