sexta-feira, 30 de setembro de 2016

consequências de escutar a conversa alheia

Sabe quando você está em público entre desconhecidos. E alguns dos desconhecidos começam a falar de alguma coisa que mobiliza muito a sua existência e sobre o que você tem opiniões fortes que gostaria de compartilhar?
Isso aconteceu comigo hoje, no ônibus. Com How To Get Away With Murder.
(Ontem eu assisti três episódios seguidos da segunda temporada. Faltam dois para eu terminar.)


Quando ouvi o nome "Michaela" se espalhar pelo ônibus, achei que estava ouvindo coisas. Quando o nome seguinte foi "Laurel", eu fechei meu livro e fiquei escutando, o que talvez não tenha sido muito normal.

Eu queria gritar - "A LAUREL TEVE UM ÓTIMO DESENVOLVIMENTO NA SEGUNDA TEMPORADA!" ou "VOCÊS TAMBÉM ACHAM QUE LAURAELA É SUPER POSSÍVEL??". Mas eu não podia. Porque era cedo, e quase todos no ônibus estavam dormindo. E porque eu não conhecia aquelas pessoas.

Mas eu podia conhecer! Nós claramente tínhamos pelo menos um tópico de grande relevância em comum! É como ver uma pessoa na rua com uma camiseta de Doctor Who. Você sabe que totalmente poderia falar com ela. Talvez chamar, do outro lado da rua: EI! CAMISETA LEGAL! Você poderia comentar alguma coisa sobre as filmagens da décima temporada ou perguntar o que ela acha da nova companion. Usar uma camiseta de fandom na rua declara sua apreciação. Você gosta tanto daquilo que está usando no peito (como uma letra escarlate, HA). É um convite a conversas que pode ser aceito por qualquer um que entenda o que aquela frase ou imagem significa.
É muito, muito raro que alguém de fato venha falar com você por causa da sua camiseta. É mais comum que sussurrem a respeito com o amigo do lado. É o que eu costumo fazer.

/Mas não tinha amigo do lado no ônibus. A amiga do lado estava dormindo. Então eu apenas escutei e morri por dentro, desejando fazer parte daquela conversa.
Aí a menina começou a falar sobre o segundo episódio da terceira temporada, que lançou ontem, e eu literalmente tapei os ouvidos com medo de pegar algum spoiler acidental. -->o que não seria um problema caso eu estivesse fazendo parte da conversa, porque eu poderia interromper com um clássico eu-ainda-estou-na-segunda-por-favor-pare

Eu não ouvi nenhum spoiler. Por sorte e precaução.
Eu acabei de ler spoilers agora, enquanto pesquisava imagens para colocar no post e acabei clicando em uma matéria sobre a terceira temporada. alguém por favor atira em mim.
Não, espera, retiro o que disse. Considerando que o tema é HTGAWM, nada bom acontece quando se pede para alguém atirar em você.

---disclaimer: se você gosta de personagens complexos, mulheres protagonistas, representatividade de todas as formas que puder imaginar, mistério, sofrimento, intriga, tensão psicológica, plot twists de tirar o fôlego, julgamentos, Viola Davis, e assassinatos, How To Get Away With Murder é uma boa recomendação. Com a ressalva de que tem sangue, assassinatos, tensão psicológica, relacionamentos abusivos, referências a abuso sexual, suicídio e muitas cenas de sexo. Então, se alguma dessas coisas te incomoda, talvez assista outra coisa.

(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

reagindo a Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

Eu finalmente li Harry Potter e A Criança Amaldiçoada.
Sim, demorei pra caramba, mas não foi por falta de esforço. Uma amiga me mandou um epub na mesma semana que lançou - não consegui achar um aplicativo para abrir o arquivo. Fui na livraria - estava caro. Tentei achar para baixar o pdf em inglês - não tive sorte.
Até que, na quarta-feira, descobri que o livro havia chegado no LeLivros. Ó, site abençoado.
Li ontem de manhã. E, pelas barba de Merlin, eu tive tantos sentimentos.

-vou tentar manter livre de spoilers, o que terá como consequência um post curto

A peça serviu para estabelecer algumas certeza. Por exemplo, a de que sim, Scorpius Malfoy é um rolinho de canela que precisa ser protegido. Não, Harry, chamar seu filho de Albus Severo não foi uma boa ideia. E que Harry Potter não nasceu para ter uma vida sem complicações, e que Draco Malfoy não nasceu para ser feliz, e que Romione é ETERNO e INESCAPÁVEL e MARAVILHOSO.
E que a morte de Cedrico Diggory ainda dói.
Trio de Ouro aos 40, fabuloso como sempre
Basicamente, a peça foi uma resposta ao fandom e seus mimimis. "Por que não voltam no tempo e fazem tal coisa?", ah, você vai ver, seu pequeno cretino. Você vai ver.

Eu senti falta de Teddy Lupin. Queria declarar isso com destaque.

Enquanto lia, meu peito se encheu de tanto amor pelo indivíduo Harry Potter. No começo, você quase não o reconhece, mas conforme o decorrer da peça, o garoto que vimos crescer se revela - mais velho, em outro momento da vida, passando por diferentes crises e demandas, mas tão perdido quanto antes. Fazendo tanto esforço quanto antes. Ainda teimoso como uma porta e cometendo burrada atrás de burrada. O mundo grita, "HARRY, NÃO", e ele responde, "HARRY SIM". O bom e velho Harry.
(não é a toa que Albus apronta tanto. ele tem mais do pai do que os olhos da Lílian)
OLHA OS POTTERS
A peça tem alguns momentos particularmente cruéis, na minha opinião. Perto do final, Harry assiste algo que ninguém deveria ver. Achei dispensável. Achei que podia ter sido substituído por uma cena de uma grande festa do chá.

Quem é a criança amaldiçoada do título, vocês perguntam? Bem, acredito que mais de um personagem se classifica. Há alguém em especial, porém, a quem diversas pessoas se referem como portador de uma maldição que traz destruição e sofrimento para seu entorno, e só posso dizer que vou defender esse alguém em especial até minha morte e que o próximo a dizer-lhe algo desse calibre vai é ser amaldiçoado por mim.






 Ao mesmo tempo em que gostei muito e que encheu meu coração de nostalgia e amor, um dos elementos principais da peça pareceu meio exagerado para mim. Muito fanfiction. Acho que é óbvio ao que estou me referindo, para quem já leu. Mas bem. J.K. transformou em canon. O que podemos fazer, além de sorrir e acenar?
E apreciar o elenco, claro.



OLHA OS GRANGER-WEASLEY

OLHA O RABINHO DE CAVALO "ESTILOSO" DO DRACO E A PRECIOSIDADE DO SCORPIUS
.de qualquer forma, eu quero muito ver a peça encenada agora. oh céus, oh vida.
(e só porque quero anunciar isso pro mundo, sabiam que meu Patrono é um lebre selvagem)

(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

sentimentos causados por A Letra Escarlate

Talvez vocês já tenham ouvido falar do livro "A Letra Escarlate", talvez não. Talvez já tenham visto o filme com a Emma Stone baseado nele, "A Mentira" - o A não é vermelho só para fazer graça.

Os dois existem. Eu vou falar só do livro. E sim, vai ter spoilers, leiam por sua conta e risco.
Não consegui escolher qual dessas três capas maravilhosas era a melhor, então decidi colocar as três.






















"A Letra Escarlate" é um livro de 1850 escrito por Nathaniel Hawthorne, não muito conhecido no Brasil, mas um expoente americano. Ele fez parte de um subgênero do romantismo chamado romantismo sombrio, o mesmo do Edgar Allan Poe (inclusive, seu contemporâneo e crítico).

A face de um homem que gostava de escrever sobre consciências atormentadas
 Diferentemente de Poe, porém, suas produções não tratavam do sobrenatural ou do terror; Hawthorne preferia falar de pecado, culpa, retribuição e temas psicológicos, com o uso de muitas alegorias e símbolos. Seu livro mais famoso (mesmo porque ele era mais contista do que romancista), "A Letra Escarlate", gira em torno de um símbolo de significado fluido, a própria letra escarlate do título.

A face desse mesmo homem, depois de se tornar um escritor célebre
Hawthorne, nascido em Salem, era descendente de puritanos, tendo inclusive adicionado o W em seu nome para distanciar-se dos ancestrais envolvidos no julgamento de bruxas. Considerando essa grande influência em sua vida, não é surpreendente que sua obra mais famosa, passada na própria Salem, ocorra em meados de 1600, a sociedade puritana como protagonista.

~a trama.
O marido de Hester Prynne está desaparecido há dois anos, então, quando ela aparece com um bebê, os juízes hesitam em matá-la, a pena comum por adultério. Optam por uma solução menos convencional: condenam-na a usar uma letra A escarlate na frente das roupas pelo resto da vida, seu pecado exposto para todos. Hester se recusa a dizer quem é o pai, protegendo-o da punição.
É claro que o marido dela não está morto.
Ele volta para a cidade no momento em que Hester passa por humilhação pública, obrigada a ficar de pé na plataforma de execuções. Sob outro nome, Roger Chillingworth, ninguém além de Hester o reconhece. Chillingworth exige saber quem é o homem responsável por desgraçar a ambos. Hester não cede.
É por aí que as coisas começam a ficar interessantes (não que não estivessem interessantes antes).
Chillingworth se compromete a descobrir a identidade do culpado, dizendo que sentirá em seu coração quando chegar perto dele.
Algo Impressionante - ele de fato descobre.
O Mais Impressionante - ele vai morar com o indivíduo em questão.
~Dois Dados Relevantes - o indivíduo em questão não faz ideia da verdadeira identidade de Chillingworth. E ele também é o pastor da cidade (e por pastor, eu quero dizer o cara que dá sermões na igreja, não o cuidador de ovelhas).
É.

Acho que esse é o primeiro caso registrado na literatura de alguém que, para se vingar da traição, resolveu conquistar a pessoa com quem seu parceiro o traiu. É isso que o Chillingworth faz. A Hester está morando sozinha em um chalé na floresta com a filha, que é mais uma ninfa selvagem do que um ser humano, e ele está lá. Com o boy dela. Que agora é dele.
(Tá certo que ele aproveita a oportunidade para umas boas doses de abuso psicológico velado, e que existem teorias de envenenamento e assassinato, mas vamos continuar seguindo a linha de raciocínio arco-íris, que é até mais interessante do ponto de vista psicológico.)

O tempo passa. Depois de sete anos, Hester pede para o boy fugir com ela de volta para a Inglaterra. Ele, a saúde definhando sob o peso do pecado inconfessado, concorda. De alguma forma, Chillingworth descobre e compra uma passagem para o mesmo navio.

No dia da posse do novo governador, depois de fazer o sermão da sua vida, o pastor ganha vergonha na cara. Ele chama Hester e a filha para subirem com ele no palanque de execuções na frente da cidade inteira, deixando clara sua associação com elas.
->CHILLINGWORTH TENTA IMPEDI-LO. "EU AINDA POSSO TE SALVAR," ELE DIZ. Quando o pastor segue em frente com a decisão, Chillingworth fala, com pesar: "Você escapou de mim."

Convenientemente, o pastor morre logo depois da confissão. E é dito que "Nada era mais digno de nota do que a mudança ocorrida, quase imediatamente após a morte do Sr. Dimmesdale, na aparência e no comportamento do velho homem conhecido como Roger Chillingworth.". O autor primeiro supõe que, tendo o marido traído feito da vingança o objetivo de sua existência, esvaziava-se de significado agora que perdia seu alvo; mas logo em seguida levanta outra hipótese. Começa a discorrer sobre o ódio e o amor serem, no fundo, a mesma coisa, e conclui que "No mundo espiritual, o velho médico e o ministro - vítimas mútuas que tenham sido - podem, sem conhecimento, ter descoberto seus estoques terrenos de ódio e antipatia transmutados em amor dourado."

O fato é, Chillingworth morre menos de um ano depois de Dimmesdale. Que todos tiremos nossas próprias conclusões.

A Letra Escarlate é um ótimo livro. Tem um motivo para que alguns críticos digam que é o maior livro americano. (mas eles dizem isso de muitos livros) Eu recomendo de todo o coração, por favor leia e venha discutir comigo a respeito.

~Eu pesquisei muito mais do que precisava enquanto escrevia esse post. Aqui ficam dois links (em inglês) particularmente interessantes:
-uma matéria sobre os diferentes papéis assumidos por Hester na trama
-um artigo de 12 páginas sobre a teoria do lento envenenamento de Arthur Dimmesdale por Roger Chillingworth (ou seja, um motivo para jogar o ship fora)

(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧ 

p.s. uma frase sábia e muito real do velho Nat:
 leitura fácil é escrita difícil pra burro.

Ó, Macarons!

Ó, Macarons!
Por que tão trabalhosos de fazer
e tão caros de comprar?

Ó, e além de difíceis de fazer
os ingredientes para sua feitura
são caros.

Ó, se farinha de amêndoas fosse mais barata
Poderíamos praticar
sem preocupações...

Ó, um sonho impossível!
As amêndoas são caras
mesmo que você decida fazer a farinha em casa.

Ó, não entendo a necessidade
de dois tipos de açúcar
na mesma receita

Ó, massa sensível
que deve sempre ser tratada
com gentileza

Ó, "não bata muito, mas não bata pouco"
"seja rápido e delicado"
"não é uma corrida", é um massacre

Ó, quem diria que cozinhar
poderia ser como
desarmar uma bomba (cara)

Ó, internet de mil resultados
Os melhores são em inglês
E precisamos converter medidas

Ó, franceses
Com sua culinária deliciosa, bonita
e loucamente complicada

Ó, até posso compreender
o preço cobrado nas lojas
mas não preciso gostar

Ó, recheio simples,
com quem sempre podemos contar
Seja de chocolate ou limão

Ó, a massa quebradiça e estilhaçada
mais parecendo um suspiro mal-feito
Porém, de gosto satisfatório.

Ó, fotografia que registrou
a mais recente
tentativa:
(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧