quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

coisas feitas em uma semana chuvosa

Começou a chover na noite de segunda, 16, e hoje é o primeiro dia desde então que amanheceu com sol. Eu quase tinha esquecido qual era a aparência do céu sem chuva e como a temperatura ficava diferente. Semana passada desenrolei o edredom que passou semanas inutilmente posicionado no final da minha cama e cheguei a dormir com uma camiseta de manga comprida. Acho que vou colocar uma regata hoje, apesar de ter a impressão de que vou continuar usando o edredom.
Todos esses são fatos verídicos, e é quase um desperdício que não sejam uma metáfora. Poderiam ser. Podem ser, se você tiver o cenário paralelo certo e disposição.

(observação do futuro: eu escrevi esse post ontem. Choveu de novo no início da noite, que foi fria como a dos dias anteriores. Eu dormi com uma camiseta de manga comprida, mas sem meias.)

Não sei exatamente o que eu fiz nessa semana chuvosa. Esse é um sentimento que me domina nas férias: a ausência de registro. Eu volto a memória para alguns dias atrás e não sei o que aconteceu neles, só tenho um sentimento plano e vago de existência continuada. Aí me esforço para ver além da neblina disforme e finalmente os registros aparecem.

-uma overdose de sentimentos e de chá
-a prova de direção da autoescola (pela qual esperei embaixo da chuva, lendo um livro e com a presença confortadora do meu pai, que estava mais preocupado do que eu. meu tênis, minhas meias e as panturrilhas da minha calça ficaram encharcadas, mas por dentro eu estava aquecida e vitoriosa)
-uma aula de violão e uma música muito boa
-um dia de felicidade estável e leve e perfeita. Um dia como um balão de gás hélio.
-cinema. achei que não ia conseguir ver Rogue One antes de sair do cinema, mas consegui
-um encontro com alguns amigos que deveria ser só um almoço, mas acabou durando oito horas. andamos na chuva pela cidade sem saber exatamente para onde estávamos indo e vivemos muitas cenas de um filme indie adolescente, só que sem trilha sonora
-o último episódio da quarta temporada de Sherlock. Boatos de um episódio secreto no dia 29.
-ressentimento mal-direcionado e uma oportunidade desperdiçada
-uma série da MTV chamada The Shannara Chronicles, que me entreteu por exatos dois dias
-outra aula de violão e o vago stress de perceber que nem tudo é fácil de tocar
-o término de um livro e o imediato início da continuação
-o aniversário de um amigo que não comemorou a data (mas que recebeu uma piada ruim por mensagem de qualquer jeito)
-uma espécie de desconforto meio vago e sempre presente na inatividade
-a percepção de que preciso marcar uma ida ao dentista. e a procrastinação da ligação.
-as listas de coisas a fazer nas férias das quais risquei pouquíssimos itens
-7 episódios de anime e um filme no mesmo dia, para tentar adiantar uma das listas
-a impressão (por fim) do meu calendário de 2017
-a realização de que perdi meu calendário de 2016

e esse é um bom lugar para parar, acho.

(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

Nenhum comentário:

Postar um comentário