domingo, 27 de novembro de 2016

quase um ano sem revelar que vejo anime e aí estrago tudo para falar de Boku Dake ga Inai Machi

Acho que não cheguei a comentar sobre isso, mas eu vejo anime. Eu vejo anime no nível problemático em que tenho camisetas de personagens e em que fui cinco anos seguidos para o Anime Friends. Vejo bem menos do que costumava (obrigada faculdade), mas eu vejo anime.

eu parei de olhar depois de reconhecer 11 para não me sentir mal
Agora, vamos estabelecer uma linha do tempo profissional e impessoal.
O ano é 2012. Começa a lançar um anime chamado Sword Art Online, vulgo SAO. O anime explode. É considerado o melhor do ano.


O ano é 2013. Shingeki no Kyojin e sua fantástica abertura surgem no mundo. os desgraçados ainda não lançaram a segunda temporada


O ano é 2014. Ok, esse ano é polêmico para mim. Ele produziu muitas coisas que eu amo e com as quais tenho laços muito fortes. Mas o My Anime List elegeu Shigatsu wa Kimi no Uso, e honestamente, eu chorei demais assistindo para conseguir discordar.


O ano é 2015. Também tenho opiniões fortes a respeito, mas acho que One Punch Man pode levar o troféu com certa segurança. parabéns por quebrar o padrão da popularidade dos animes que começam com s

O ano é 2016.
As apostas ainda estão correndo, mas acho que posso ter a ousadia de fazer um palpite.
Boku Dake ga Inai Machi. ERASED em inglês, uma tradução um tanto brutal da poesia do título original - A Cidade Onde Apenas Eu Não Existo.


O anime lançou na primeira temporada do ano, de janeiro a março. Eu lembro de ver nos sites e pensar, ah, eu devia ver isso. Meus amigos recomendavam e eu pensava, ah, eu devia mesmo ver isso.
Eu vi faz duas semanas. Não quero ouvir recriminações porque estou pegando agora uns animes que comecei quando estavam lançando em 2013, então ver no mesmo ano que lançou já é uma evolução para mim.

É mesmo o melhor anime do ano?


Um básico da trama, já que todo mundo que me mandava ver explicava pela metade: o protagonista é Fujinuma Satoru, um cara normal de 29 anos que teve os sonhos esmagados alguns anos atrás. Mas é claro que se ele fosse só um cara normal não seria o protagonista. Quando coisas ruins estão prestes a acontecer perto dele, Satoru é mandado alguns minutos para o passado por um fenômeno que chama de Revival. Ele procura o que parece estar errado e tenta impedir o desastre.

(inclusive, uma das minhas reclamações é que não se explica o que é ou de onde vem o Revival. Só acontece. Tipo, ok, não é importante, mas poxa)

Quando Satoru tinha 10 anos, aconteceu uma série de sequestros de crianças seguidos de morte na sua cidade. Ele não acredita que a pessoa presa seja a verdadeira culpada e tentou apagar as lembranças a respeito dessa época. Até que um dia algo terrível acontece, e ele se vê em um Revival que o leva para 18 anos atrás, semanas antes do primeiro assassinato. Satoru sabe que a única forma de evitar a tragédia do presente é impedindo a do passado.

As coisas ficam frenéticas a partir disso.
Boku Dake ga Inai Machi consegue ser excitante, devastador, engraçado e doce ao mesmo tempo. E outros adjetivos com E e D. Para mim também foi incrivelmente satisfatório, porque eu suspeitei de um determinado personagem desde a primeira aparição e eu ESTAVA CERTA. Foi um sentimento maravilhoso saber que eu estava certa.
~registro da conversa de whatsapp do momento exato em que minhas suspeitas foram confirmadas

sim meu fundo de whats é um cão glorioso em cima de uma pedra
Sim, Boku Dake ga Inai Machi é um bom anime, digno de reassistir. Não é o meu preferido de todos os tempos, mas é de fato muito bom e muito recomendável. Só esteja pronto para uma montanha russa de emoções, batimento cardíaco acelerado, crianças fofas, decisões ruins e lágrimas.
Não sei se vai ser lembrado como O Melhor Anime de 2016. Mas com certeza como um dos melhores.

(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário