quinta-feira, 11 de agosto de 2016

oi, eu sou ambivertiva

/Socialização cansa?
Sim, bastante.
Eu me divirto socializando?
Sim, bastante./

Estava tentando entender porque estava tão cansada essa semana. Certo, acordar 6:04 da manhã cansa, mas as oito horas que passei esperando por aula em cada dia deveriam ter sido tempo mais do que suficiente para me recuperar.
Ontem foi o dia em que tive mais aulas. Ontem foi o dia que cheguei menos cansada.
Qual o sentido disso?

Foi quando eu percebi - socialização.
Passei pelo menos seis daquelas oito horas vagas com outras pessoas. Conversando, fazendo piadas, vagando, me divertindo. No momento da interação, não senti nenhuma espécie de desconforto. Quando cheguei em casa, porém, estava exausta.

Passei dois meses sem contato rotineiro com seres humanos. É muito fácil ficar sozinha. Às vezes entediante e um pouco melancólico, mas fácil. Gosto de ficar sozinha. Mas também gosto de ficar com os meus amigos. Gosto de sair e brincar por aí. Mas às vezes a mera ideia me deixa enjoada.

"ora, isso é normal," alguém pode dizer. "todo mundo tem seus momentos."
Verdade. Verdade.

Já ouviram falar do teste de personalidade de Myer-Briggs? É um teste americano que pretende dividir as pessoas em 16 tipos de personalidades, indicadas por quatro letras. A primeira pode ser um I de introvertido ou um E de extrovertido, classificando se você recupera suas energias ao ficar sozinho ou através de contato social.
Já fiz esse teste duas vezes. Da primeira, as porcentagens ficaram bem próximas, mas o resultado acabou sendo I. Da segunda, novamente com uma proximidade quase ridícula, fiquei com um E.

"mas você não precisa de um teste de internet que te diga como é a sua personalidade," alguém pode dizer. "você mesma sabe se é extrovertida ou introvertida."

Mas. Eu. Não. Sei. Depende! Juro, depende! Eu não estou inventando!
É aquela velha história das etiquetas. As etiquetas oferecidas não me serviam. Eu tenho facilidade demais em interagir para usar introvertida sem sentir que estou trapaceando, mas de jeito nenhum que posso afirmar que a extroversão me é mais natural. Eu sempre me senti no meio. Mas não existe meio, existe?

AHA. GOOGLE.
Pois lhes apresento o termo "ambivertivo" - o meio.

"Ambivertivos adoram ficar com pessoas, mas cansam depois de passar muito tempo com elas. São muito capazes de fazer coisas sozinhos, mas passar um dia inteiros sozinhos pode puxá-los para um humor deprimido e improdutivo."
Foi só ler esse primeiro parágrafo, e eu passei por um momento Ah-epifânico.
A etiqueta. Ela faz sentido. E talvez eu tenha ficados com os olhos meio molhados.

Sem contar que agora eu entendi que essa história de introversão/extroversão é um espectro, não duas opções apenas. Carl Jung, você podia ter explicado melhor.

Para quem se identificou com essa agradável etiquetinha e quer saber mais, aqui estão alguns links:
-aqui (*bem aqui*) (*e aqui*) estão algumas listas de características
-e aqui (*oi*) (*aqui também*) algumas explicações mais sérias

~e para os entendidos de inglês, aqui os links que para os sites que causaram a minha feliz realização
(*teve esse*) (*e esse*)

Enfim, a moral é que eu entendi porque aqueles dois dias me deixaram tão cansada. E que a partir de agora, quando as pessoas não entenderem como eu me sinto com relação a socializar, posso jogar um termo e um conceito ao invés de ficar tentando me explicar. É um grande alívio e uma verdadeira satisfação. Sem contar que é bom descobrir que não sou errada e estranha (pelo menos nesse aspecto).

------> e só pela graça, uma divertida E MUITO CORRETA tabela dos personagens de Harry Potter classificados nas 16 personalidades de Myer-Briggs (creio que clicar na imagem facilitará a leitura)


(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

Nenhum comentário:

Postar um comentário